Reconstrução de Mama

As mamas representam a identidade, a feminilidade e a sexualidade das mulheres. Diante disso, destaco que a cirurgia de reconstrução mamária tem um significado emocional bastante importante para a mulher que acabou perdendo sua mama em decorrência de câncer ou de outras doenças ou traumas.

Atualmente, há diversas técnicas que podem ser utilizadas para a reconstrução, a depender da localização e do tamanho do tecido que foi removido. As mais comuns são as próteses de silicone e as que utilizam tecidos próprios da paciente para a reconstrução.

Este procedimento pode ser realizado de forma imediata (a primeira fase de reconstrução ocorre no mesmo ato em que a mama é removida total ou parcialmente na mastectomia) ou tardia (quando a paciente já foi mastectomizada).

Nosso Diferencial

• Todas as nossas cirurgias são realizadas por uma equipe completa – composta pela Cirurgião principal, Cirurgião auxiliar, anestesista e instrumentador. Todos com excelente formação, anos de experiências, e membros da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
• Além de equipe composta por profissionais qualificados, só realizamos nossas cirurgias em ambiente hospitalar com CTI e centro cirúrgico com equipamentos modernos para melhor atendimento, segurança e conforto do paciente.
• Sempre solicitamos avaliação completa pré-operatória, com exames de sangue, exames de imagem e risco cirúrgico (parecer clínico e/ou cardiológico)
• Já realizamos mais de 600 cirurgias nos últimos 3 anos.

Perguntas Frequentes

Conheça as dúvidas mais comuns sobre este procedimento.

A cirurgia de reconstrução de mama é indicada para todas as mulheres que tenham retirado a mama por completo ou parte dela devido ao câncer. A não ser que a paciente não deseje realizá-la ou o seu caso exija uma técnica de reconstrução cujo risco é muito alto para suas condições de saúde.

a cirurgia pode durar, em média, de duas a cinco horas. É muito variável, dependendo sempre do tamanho do tumor e das condições individuais de cada paciente.

O período de recuperação exige acompanhamento médico semanal, medicamentos (analgésicos, antibióticos), repouso com os braços e a não realização de esforços físicos por cerca de 30 a 60 dias

Como em toda cirurgia, existem riscos. Mas esses são muito dependentes do caso em si, das condições de saúde da paciente, da gravidade do tumor e da necessidade de técnicas mais elaboradas, como os retalhos miocutâneos (tecidos de outra região do corpo que contém pele e músculo).

Não há um limite de idade (mínimo ou máximo) estabelecido para que possa ser feita a cirurgia de reconstrução mamária. Mas, no caso de pacientes idosas, o que conta são as condições de saúde das mesmas, que influenciam no risco cirúrgico e anestésico, podendo ser um fator limitante ou até mesmo excludente em algumas situações.

Dra. Ana Borba Leite

Graduada em medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica pelo Hospital Federal de Ipanema (HFI). Também sou membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – SBCP.

Atualmente, atendo em meu consultório localizado no centro do Rio de Janeiro.

Realizo constantes cursos de atualização e participo de importantes congressos na área médica no Brasil e em outros países.

Conheça a estrutura da Clínica